Dilma garante duplicação e eletrificação da Linha Oeste

19/07/2013 09:43

Em seu discurso, a presidente defendeu também o investimento em ferrovias urbanas nas cidades médias

Em sua primeira visita ao Ceará depois da onda de manifestações populares que tomaram conta do País, a presidenta Dilma Rousseff recebeu apoio e solidariedade do governador Cid Gomes e garantiu a execução de pelo menos um dos novos projetos de mobilidade urbana apresentados por ele ao governo federal: a duplicação e eletrificação da Linha Oeste do Metrofor, que liga o Centro a Caucaia. Em seu discurso, defendeu também o investimento em ferrovias urbanas nas cidades médias.

A agenda de Dilma na capital cearense começou pela manhã, quando inaugurou as estações do Metrô de Fortaleza José de Alencar e Chico da Silva FOTO: KID JÚNIOR

A agenda de Dilma na capital cearense começou pela manhã, quando inaugurou as estações do Metrô de Fortaleza José de Alencar e Chico da Silva, as duas últimas que faltavam para completar o projeto inicial da Linha Sul, que faz o percurso de 24,1 quilômetros, levando de Maracanaú ao Centro da cidade. O metrô ainda seguirá, em todo o seu trajeto, em operações assistidas (com viagens gratuitas e de 8h ao meio-dia) até o início do ano que vem, quando inicia a operação comercial.

Com plateia restrita na parte subterrânea da estação, Dilma defendeu o projeto como de grande importância, afirmando que, antes de seu governo e de seu antecessor Luiz Inácio Lula da Silva, pouco foi investido em mobilidade urbana no Brasil.

"Era convencionado, no Brasil, que o transporte coletivo era das prefeituras e do estado, e que o governo federal não tinha de pôr dinheiro. Nós não concordamos com isso, achamos que este é um problema dos brasileiros e, portanto, é um problema do governo federal também", afirmou Dilma.

A presidenta informou que estão sendo investidos R$ 89 bilhões para programas de mobilidade urbana no País, através de 192 obras em 100 municípios, com o objetivo de implantar metrôs, VLTs (Veículos Leves sobre Trilhos, BRTs (Bus Rapid Transit - trechos exclusivos de ônibus) e corredores de ônibus.

"Se não tiver transporte subterrâneo, através do metrô, ou elevado, através do metrô, ou se não fizer arranjos que permitam a integração de modais, não há solução para o problema nem do trânsito, nem da qualidade de vida da população brasileira", defendeu Dilma.

Na nova seleção que o governo federal está fazendo, por meio do Pacto Nacional da Mobilidade Urbana, no qual serão investidos mais R$ 50 bilhões, ela anunciou a garantia de, ao menos, um dos pleitos do Governo do Estado.

"O (prefeito) Roberto Cláudio e o Cid (Gomes, governador) estiveram lá no Ministério (do Planejamento) da ministra Miriam (Belchior) e levantaram várias possibilidades, elas estão sendo analisadas, mas nós temos certeza de uma delas. E eu até aproveito e aviso aqui, para vocês: que é essa linha que liga esta estação de Chico da Silva à Caucaia, que é a Linha Oeste", declarou a presidente.

Além da duplicação da linha e sua eletrificação (que a transformaria, de fato, em metrô, já que hoje funciona com trens a diesel), o governador solicitou também a sua ampliação até o Porto do Pecém, com mais 54 quilômetros de extensão.

Já o prefeito Roberto Claudio pediu recursos para implantação de novas linhas de ônibus, com BRTs. Em relação à demais demandas, Dilma afirmou: "as outras nós estamos, inclusive, analisando, e achamos que isso muda, de fato, completamente o cenário do transporte urbano".

Dilma fez elogios à rede de transporte integrada que está sendo construída em Fortaleza, que foi exaltada pelo governador em seu discurso. "Esta será a melhor malha ferroviária per capita de todas as capitais brasileiras. A nossa rede terá 71 quilômetros de transporte ferroviário. A de São Paulo, por exemplo, tem 74 quilômetros", destacou o governador Cid Gomes.

R$ 6,4 bilhões no CE

Durante a cerimônia de inauguração das duas novas estações da Linha Sul do Metrô de Fortaleza, o ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, informou que o governo federal já investe em projetos de mobilidade urbana no Ceará recursos que somam R$ 6,4 bilhões.

Este montante envolve os repasses para as obras da Linha Leste do metrô, o Programa de Transporte Urbano de Fortaleza, o VLT Parangaba-Mucuripe, os três BRTs em obras na capital (nas avenidas Dedé Brasil, Alberto Craveiro e Paulino Rocha), recursos destinados para a Ponte Estaiada e outros projetos na cidade de Caucaia.

Ribeiro adiantou também que, por determinação da presidenta da República, uma portaria de autoria de sua pasta será publicada hoje no Diário Oficial da União (DOU) regulamentando as medidas de deslocamento de famílias para realização das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os detalhes dessa portaria, entretanto, não chegaram a ser esclarecidas pelo ministro.

Cidades médias

Ao comentar a falta de investimento em linhas de metrô no Brasil nas últimas décadas, a presidente afirmou que era preciso investir em mobilidade urbana nas cidades médias, que são aquelas que têm entre 100 e 300 mil habitantes.

"Acho que essas cidades podem e devem ter um tratamento, agora e urgente, no sentido de assegurar que a gente tenha condições de fazer mais por elas do que em 1990 e em 1997 fizeram pelas cidades do Sudeste, que hoje são mais populosas".

Dilma disse que, dessa forma, é possível ter um uma solução mais equilibrada e harmoniosa para a mobilidade dessas cidades, e elogiou as ações de planejamento feitas por Cid Gomes nessa área, com a instalação de metrôs nos municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Sobral.

Trecho Leste do metrô será iniciado em setembro

Enquanto a Linha Sul é entregue e os projetos na Linha Oeste são garantidos pela presidenta Dilma Rousseff, a Linha Leste do Metrô de Fortaleza, que seguirá do Centro da cidade ao Fórum Clóvis Beviláqua, deverá ter suas obras iniciadas em setembro próximo. Na última quarta-feira, as duas primeiras tuneladoras, que farão os túneis do metrô, foram embarcadas na China, em direção ao Ceará.

De acordo com a Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), os equipamentos, também conhecidos como Tatuzões, deverão chegar em 45 dias. As tuneladoras foram produzidas no país asiático, com supervisão de técnicos da Seinfra, e viajam em um navio exclusivo.

Quando aqui chegarem, serão montadas em dois pontos diferentes às obras. A fábrica de anéis (equipamentos complementares aos tatuzões) e o sistema de ventilação já se encontram no Porto do Pecém. (SS).

 

Diário do Nordeste - 19 de julho de 2013.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!