Sensação de insegurança em Fortaleza é generalizada

19/08/2013 09:40

RESUMO DA NOTÍCIA - População revela que se sente insegura tanto em espaços públicos quanto privados da cidade e convive com o medo

Não existe mais hora nem local. Seja nas ruas, praças, em veículos particulares, no transporte coletivo e até mesmo dentro de casa, a sensação de insegurança do fortalezense é generalizada. Com a droga e o crack, o problema se intensifica. Dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) apontam que, de janeiro a julho deste ano, foram registrados 1.099 homicídios dolosos na Capital.




Site traça mapeamento dos assaltos ocorridos na Capital

Com intuito de traçar um mapeamento das áreas mais perigosas da cidade, assim como os assaltos mais frequentes, foi lançado na internet o site "Onde fui roubado". Até as 17h de ontem, 346 ocorrências haviam sito registradas. Elas são divididas em: furto, assalto coletivo, arrombamento veicular, roubo de veículo, saidinha bancária, assalto à mão armada, sequestro relâmpago, arrombamento em loja ou arrombamento domiciliar.



Liderando o ranking está assalto à mão armada (62%), em seguida furto (17%) e assalto coletivo (8%). Celular (81%) está entre os objetos mais roubados, seguido de carteira (42%) e documentos (36%). Aldeota é o bairro com maior número de denúncias, 105. Em seguida Vicente Pinzón (69), Parquelândia (53), Fátima (46), Mondubim (21), Água Fria (18), Passaré (15), Jangurussu (9), Paupina (5) e Henrique Jorge (5).

Alvo

O principal alvo dos assaltos são homens 65%, enquanto as mulheres representam 35% das vítimas. Dos 346 casos registrados até o momento, em apenas 44% dos casos a pessoa registrou boletim de ocorrência. Na página não há identificação de quem são organizadores.

Através da assessoria de imprensa, a Polícia Militar do Ceará informa que todas as ocorrências registradas na Capital estão sendo devidamente registradas pela população e mapeadas pela estatística criminal onde a Polícia, a partir daí, de forma científica, potencializará as ações de policiamento ostensivo preventivo. "O comando geral da corporação, dentro de sua matriz operacional, tem orientado constantemente os comandantes de frações de tropa para que intensifiquem, ainda mais, as rondas ostensivas", salienta o relações públicas da PM, tenente-coronel Fernando Albano.

 

Diário do Nordeste - 19/08


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!